quarta-feira, 10 de junho de 2009

Chorar faz bem ...

As vezes passamos grande parte de nossas vidas com determinados paradigmas: temos que aceitar perdas com sabedoria, não podemos chorar perdas, mães não choram na frente dos filhos para não fazê-los sofrer, mãe tem que ser forte, sofrer é uma opção, a perda por morte é natural, na maturidade aceitamos perdas por morte com tranquilidade, é a lei da vida. Sim aceitamos a perda por morte, mas em qualquer idade sejamos jovens ou velhos sofremos e choramos... Nos ombros dos amigos, também no colo de nossos filhos. Há um ano atrás perdi minha mãe e chorei sem pudor com meu coração dilacerado, nos braços de meus amigos e no aconchego de meus filhos. Sou uma pessoa madura não deveria estar chorando por não ver nunca mais aquele doce sorriso, o abraço daquela que me deixou um legado de amor e a sabedoria do viver. É o que está escrito nos manuais ... Queimei todos manuais, rejeito consolo do tipo: não chore...agora é seguir em frente... Prefiro a verdadeira solidariedade: chore, desabafar faz bem ...essa é sua dor que precisa ser aliviada e a única forma é deixar as lágrimas escorrer como um rio. Só quem teve perda por morte de alguém tão precioso sabe dizer essas palavras confortadoras ,como meus filhos e os amigos sabem. E aquelas pessoas que não tiveram essas perdas, mas possuem sentimentos verdadeiros não dizem bobagens, como tivessem citando manuais, ficam em um silêncio comovido... Nunca quero ouvir ou ler receitas para não sofrer... nem chorar nossas dores. As perdas são inevitáveis mas é um direito nosso chorá- las. Por que a ditadura do sorriso nos lábios, da alegria quando nosso coração sangra? Como diria nosso querido Gonzaguinha: "Não dá mais para segurar, explode coração". E eu digo convicta: " as favas essa mania de pessoas felizes, que não sofrem, não choram e nem adoecem" . Chega, todos nós temos o direito sagrado de sentir nossas dores. E foram felizes para sempre... fica para os sem sentimentos ou melhor múmias. É, chorar faz bem, aliviou-me...A esperança renasce como a planta e a relva depois de molhada pela chuva. Assim também é nosso coração.

5 comentários:

Fatima disse...

Saudade
Nelsinho Corrêa


Só se tem saudade do que é bom,
Se chorei de saudade não foi por fraqueza,
Foi porque amei.

E se eu amei, quem vai me condenar?
Se eu chorei, quem vai me criticar?

Só quem não amou, quem não chorou,
Quem se esqueceu que é um ser humano,
Quem não viveu, quem não sofreu,
Só quem já morreu... e se esqueceu de deitar

Bjs pra vc e um ótimo feriado!

Maria das Graças disse...

Oi Fátima, tentei reconstruir o que escrevi...pensei em você que havia enviado-me uma mensagem afetuosa . Agora abro o computador ,e você se faz presente com sua carinhosa atenção.

O que vou dizer para a amiga itabirana, também terra do Drummond... Obrigada. Você espalha alegria , gentileza como um raio de sol por onde anda.

Um ótimo feriado. Beijinhos mil...

Cris disse...

Oi Maria,

você nem sabe onde esse texto me tocou...foi fundo nessa dor de perdas ainda recente, me emocionei e chorei...
Agora, já é choro manso, batido, não tem desespero, é só saudade mesmo do pai, turrão, cabeça dura, teimoso e tão sabio, dessa sabedoria que a vida dá...
Quantas vezes engoli o choro...
Um dia de tanto chorar durante meu processo de perda...tive que ver a Julia chegar da escola e me abraçar e dizer:
- Mãe, cheguei! Você tá feliz???
Não tem como explicar isso, mãe não chora na frente dos filhos...engoli, engoli, engoli a quase não ter mais espaço dentro de mim...
Mas o tempo, como já disse Salomão em sua vasta sabedoria, é ele, que não diminui e nem retira as alegrias e as dores...ele ( o tempo), dá-lhe a real proporção da coisas...
Chorar faz parte...
nossa..rs
Que Deus te abençõe por me dar a oportunidade de escrever isso...porque escrever também é se encontrar.
Beijo grande...
Bom feriado

Regina disse...

Olá, minha querida amiga Maria! Muito obrigada pelo seu carinho de sempre, senti falta desse teu espaço...

Gostei bastante desse seu texto que é muito verdadeiro...

Eu sou uma pessoa que rio muito, mas também, quando choro, as lágrimas chegam a secar!

A verdade é que temos que viver cada momento com intensidade, sentir alegria, tristeza, rir, chorar...

Eu não consigo engolir o choro, nem a risada... Já chorei muito nessa vida, mas... faz parte, não é mesmo?

Como você disse, todos nós temos o direito de sofrer e chorar... com licença!

Beijo enorme, nossa amizade, apesar de virtual, não diminui em nada o seu valor... Obrigada!

Beijo grande, bom feriado!!

Maria das Graças disse...

Minhas amigas o que escrevi é verdadeiro; foi uma experência em minha vida ,em uma sociedade que a maioria das pessoas se acham poderosas e nada de mal vai-lhes acontecer, nem posso deixar-me de fora desse grupo, para ser sincera.

Na verdade cheguei a maturidade,só ganhando e nada de perdas significativas...parece que eu nasci para a "lua". Uma linda história familiar e de um amor muito apaixonado pelo pai de meus filhos. O perdi por morte ,segurei o choro por amor a meus filhos.Eu tinha pais e eles tão jovens tiveram essa perda de um pai maravilhoso.

Quando veio a perda da minha mãe...rasguei todos os manuais e chorei muito...Tenho saudades hoje , só que ternas e sempre sorrio dos belos momentos que passamos juntos. Não foi fácil,recuperar a perda de um amor por morte é através de um esforço descomunal e que muitos não entendem.

Agora estou bem...feliz.


Grata pelas amizades e solidariedades suas, nesse meu texto que fala de dor que tem que ser extravasada como a alegria também. Uma coisa garanto a vocês poucas pessoas tiveram ou tem a oportunidade de viver tudo com tanta intensidade.

Conclusão : sou uma pessoa privilegiada a vida não economiza nada para mim...até aqui no mundo virtual.

Minhas amigas, (bom chamá-las assim), abraços mil...