domingo, 19 de julho de 2009

O sapo.


Existem circuntâncias inesperadas da vida que proporcionam encontros inusitados. Foi o que aconteceu. Entre as várias pessoas que viu depois de quase décadas, umas quase irreconhecíveis outras nem tanto. Uma lhe despertou curiosa atenção. Ele fez parte de sua adolescência, das descobertas da menina que vivia a transição para se tornar uma mulher. Apesar de estar com a atenção absorvida para outras pessoas que precisavam de seu apoio, sentiu-se curiosa quando o viu entrando na sala. Teve dúvidas se seria mesmo aquele que muitas vezes forçou "a barra" para namora-la. Na época receou entrar em uma relação que sentia não estar preparada. Ele era muito mais velho e as mal amadas diziam que era muito "mulherengo". Ela queria a época viver as alegrias das novas descobertas sem complicações. Reparou que ele não tem mais o viço de outrora, os olhos muito belos pareciam um mar profundo ou um céu sem núvens, uma boca bonita quase perfeita e seu porte de princípe que derretiam corações ...não encantam mais. Um cumprimento rápido. Ele parece tímido ao contrário de anos atrás em que dava "as cartas". Na verdade ela foi riscada de sua convivência, em uma retaliação por rejeitá-lo, talvez com um certo exagero cruel próprio de sua imaturidade de adolescente. Nunca a perdoou e agora a sua frente quase velho, parece que sente vergonha de olhá-la nos olhos. Ela a vontade, está tranquila. Ele atrapalhado a cumprimenta com um "Como vai?", como se estivesse chegando, quando na verdade está de saída. Ela responde: tudo bem. Com maldade, tem vontade de dizer olha eu já o cumprimentei quando você chegou. Agora é despedida. Resolve deixar para lá. Não resiste quando chega em casa, tem que telefonar e contar para a querida irmã. Que o príncipe que povou o imaginário das duas durante tanto tempo tinha se transformado em sapo. Com certeza o príncipe agora é um sapo feioso!

5 comentários:

Cris disse...

rsrsrs...e quanto sapos são principes disfarçado hein querida????
É assim mesmo como dizia a minha mãe, por fora bela viola e por dentro pão bolorento...
Um beijo pra vc minha querida amiga com A maísculo, que eu aprendi a respeitar e admirar dessas leituras tão gostosas, cheias de brilho proprio.
Um beijo pra amiga de belos conselhos e de palavras sempre edificantes...
Um beijo pra amiga mulher, que vc é querida! Feliz dia dos Amigos!!

Regina disse...

É, amiga... o tempo é o senhor da razão!

Como nosso olhar pode mudar ao longo dos anos...

Pessoas ou situações que nos pareciam imprescindíveis ontem, podem ser descartáveis para nós, hoje... tudo muda...

Inclusive príncipes que viram sapos!

Adorei! rsrs...

Grande beijo, Maria!!

Maria das Graças disse...

Minhas amigas, parece piada mas aconteceu na realidade. O príncipe virou sapo mesmo, rsrsrs...sorte é, que adorei. Um diabinho dentro de mim despertou assim meio cruel,rsrsrs...

Abraços.

Fatima disse...

Querida,
a Igrejinha de São Francisco já está lá. Esqueci de colocar a foto. Obrigada por me lembrar.
Texto ótimo como sempre!
Bjs.

Multiolhares disse...

As pessoas podem mudar por fora, mas os sentimentos esses estão sempre lá, e a dor da rejeição também se continua a sentir no coração
beijinhos