domingo, 26 de setembro de 2010

A bisbilhoteira

As duas irmãs  vivem momentos de intimidades em conversas sobre tantas vivências e emoções compartilhadas ao longo  da caminhada que chamamos vida. Uma das irmãs vive um momento delicado com a saúde de alguém querido da família. A mais nova que já passou por perdas irreparáveis, sabe dessas dores e tenta confortar o que muitas vezes se tem a dimensão  só  quando as vivênciamos. Mas as duas não falam só de dores, existem momentos de amenidades, as banalidades inúteis que as vezes descontraem e trazem risos. E não é que chega uma daquelas pessoas que não se anunciam e certamente  sorrateiras vem bisbilhotar a vida alheia.  Engraçado a irmã que a viu umas duas vezes na vida recebe um abraço com exclamações de uma saudade sem limites e o elogio que parece uma garota. A outra irmã que a vê quase todos os dias recebe o cumprimento que está desfeita. Coitada também com tantos problemas. O olhar é de pena. E em um piscar de olhos pergunta para outra que é viúva:- Você já arranjou um homem? O melhor é fingir que não a escutou e emenda, vou ser avó de um menino. A visita inusitada faz declarações de amor e amizade para as duas ao se despedir em calorosos abraços. Assim que esta sai as duas soltam risos descontraídos. Como existem pessoas bisbilhoteiras, sem o bom senso necessário para confortar a dor alheia. E os abraços fingidos e sem pudor. Se não são sinceros pelo menos deveriam poupar o constrangimento dos que valorizam o abraço afetuoso e amigo.  

7 comentários:

Fatima disse...

Tb não gosto de gente bisbilhoteira.
Bjs querida.

Multiolhares disse...

como é triste vermos pessoas assim bem feias no seu interior
Bj

Mimo Chic disse...

Muito Bom Graca!!
Sempre nos agrega ler textos inteligentes!
Estamos com saudades de vc nos Mimos, apareça...
Bj Lulu & Sol

Graça Pereira disse...

Amiga
Quando aparecem essas bisbilhoteiras, que não gosto nada, o melhor, é dar-lhes a volta como fizeste tu e muito bem!
beijocas e fica bem.
Graça

Graça Pereira disse...

Amiga
Quando aparecem essas bisbilhoteiras, que não gosto nada, o melhor, é dar-lhes a volta como fizeste tu e muito bem!
beijocas e fica bem.
Graça

G I L B E R T O disse...

Por isso que eu sempre digo:

prefiro os verdadeiros, o que te jogam na cara as verdades que correm dentro de seu sangue. POde ate ser que não concordemos com eles, que os achemos chatos por vezes, corajosos outras, o mérito é de cada um segundo seu próprio julgamento - entretanto, eles sempre falam a verdade que sentem, e neles o elogio é ouro, e a crítica é construtiva sempre, pois eles possuem o cetro da verdade, e a verdade é justiça sempre!

TExto perfeito, dulce Maria!

A imagem casou bem com a prosa!

Cris França disse...

não gosto de gente assim não...mas é igual mato né?????? nasce por todo lado. bjs querida