sábado, 26 de dezembro de 2009

Que Paz


As festas natalinas nos trouxeram a alegria da confraternização em família, como também um misto de paz e alívio. Na verdade os dias que antecederam o Natal a cidade viveu um caos no transito, em lojas. Quem se arriscava a fazer alguma compra era literalmente atropelado, sem ao menos ouvir um pedido de desculpas. A minha relação com o Natal não anda das melhores. Tento sobreviver em uma época extremamente consumista, os meus questionamentos são vários : será que a confraternização com a família e amigos no Natal deve ser considerada a mais importante? Será que presentes devem ser buscados dessa forma como uma maratona a qualquer preço, sem aquele prazer da escolha com calma. E o Papai Noel, tão injusto com algumas crianças que nunca recebem o que desejam enquanto outras tem todos seus desejos atendidos. Quando criança, não tive uma boa relação com Papai Noel,a menina precoce descobriu, que este era uma fantasia comercial e meus pais nunca deram-me a sonhada bicicleta. Os meus filhos tiveram um Papai Noel para lá de generoso. A minha filha chorou quando descobriu que não existia o Papai Noel ,o bom velhinho. Agora minha relação com Papai Noel deteriorou mesmo, (gosto de oferecer e receber presentes) , o que incomoda -me demais é ser pressionada para fazer listas de presentes que desejo receber. E mais desgastante é também enfrentar a confusão de lojas sem a mínima condição de uma alegre e calma escolha do presente ideal para as pessoas queridas. Quando penso no meio ambiente com mais e mais lixo provocado pelo consumo exacerbado, tenho certeza que existe algo muito errado. É, precisamos modificar nossas atitudes se quisermos mesmo deter a deterioração de nosso Planeta. Temos mania de esperar tudo dos governantes, sem pensar em como deveríamos fazer a nossa parte. Esse mundo não muito cristão, já nem pensa no significado e o simbolismo do Natal, que deveria ser um renascimento para a vida de amor, e paz. O nosso compromisso deveria ser com o resgate de sentimentos solidários e não com o consumismo e comilança. A cidade agora está tranquila , uma paz. Quem dera fosse sempre assim.

Os: esse comentário não é de uma pessoa amarga, ao contrário muito de bem com a vida. Só que viver "do faz de conta"não faz seu gênero. O sonho e o encanto da vida não podem viver só de coisas materiais, mas seus pilares devem ser sentimentos profundos como o amor fonte de todas nossas melhores ações.

3 comentários:

Regina disse...

Querida Maria,

Há muito que se perdeu o verdadeiro sentido e espírito natalino...

Infelizmente as pessoas brigam o ano inteiro e somente no Natal viram "santas" de repente e oferecem presentes e simpatia à todos, até a quem não toleram...

Um feliz e encantado Ano Novo à você e toda sua família!! E que o espírito verdadeiro do Natal esteja presente em todos os dias de 2010!!

Com certeza, você é uma amiga muito real, que está dentro do meu coração!! Muito obrigada por sua amizade e carinho de sempre e por ter inundado meu coração de alegria e paz neste ano que está indo embora...

Felicidades, hoje e sempre!! Esteja sempre bem...

Beijos!!

Eliene Vila Nova disse...

Oi minha querida
im te desejar um 2010 abençoada
com muita paz
amor
saúde
replto de possibilidades
que sejamos felizes
beijos
beijos

Multiolhares disse...

Claro que o comentário não é de uma pessoa amarga, mas é o que a maioria de nós pensa, estamos a perder a verdadeira essência do natal, que é o nascimento a família o amor, mas enfim é o novo mundo a que por vezes não entendemos
um bom ano para ti
beijinhos