segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Bendito Maldito


Ela se considera meio anarquista, uma burguesa fora do padrão, que anda na contra mão da vida.Daí esse interesse e admiração por aquelas pessoas que canalizam seus talentos para dar voz aos marginalizados. E existe um desses malditos que sua obra sempre despertou sua curiosidade e paixão. O nome desse maldito mais abençoado da nossa terra : o dramaturgo Plínio Marcos, um homem coerente, íntegro,em todas as áreas que transitou ( dramaturgia, pesquisa para a literatura, futebol, televisão, imprensa, música e esoterismo) sem jamais se deixar contaminar pela amargura, ressentimento ou ódios . Agora surge uma sua biografia, escrita por seu amigo também autor de teatro e jornalista Oswaldo Mendes. No início rejeitou a ideia, porque temia que o impacto da emoção prejudicasse o trabalho. É verdade a biografia de Plínio Marcos teria que ser absolutamente coerente com rigor histórico e jornalístico. Recebeu o rótulo de maldito pela censura da ditadura, por nunca se intimidar com a repressão que sofria por seus escritos em que dá voz aos marginalizados. Para os conformados com as injustiças e desmandos continuará sendo maldito mas, para os que nunca perdem a capacidade de se indignar e ter esperança na justiça de um mundo melhor; Plínio Marcos será eternamente bendito. A sua obra tem um lugar definitivo na dramaturgia brasileira . Obra de extrema atualidade das brutais realidades do cotidiano, também necessária para incomodar, inquietar nossas consciências para que nos acordem da indiferença ao olhar nossos semelhantes marginalizados, até hoje são lhes negados os seus mais elementares direitos de cidadania, em uma sociedade sem um olhar humanista. Uma biografia que é um deleite, para se conhecer detalhes de uma personalidade genial em seus múltiplos talentos, como também a vida de um homem coerente, integro, honesto em suas ideias e pontos de vista que defendia com bravura . Só posso dizer que o Plínio amou principalmente os desvalidos marginalizados e esse amor está traduzido lindamente de forma nua e crua na grandiosidade de sua obra.

Ela recomenda a leitura dessa biografia, para os amigos inquietos que tem a capacidade de se indignar por certas situações que não podem ser consideradas normais em nossa sociedade.

Obs: Bendito Maldito, Uma Biografia De Plínio Marcos ( Autor: Oswaldo Mendes).
Editora Leya, 497 páginas.

7 comentários:

Fatima disse...

Gostei da indicação. Vou procurar.
Bjs.

O Profeta disse...

Sopro esta brisa que percorre as cumeeiras
E arrasto comigo este denso e frio nevoeiro
A noite envolve-me em seu escuro manto
Um milhafre soltou um grito derradeiro

O fogo surgiu do nada
A chama da paixão lambeu uma pedinte mão
Que levou o calor tatuado, abrasador a outra
Duas mãos postas, apontam ao divino uma oração

Na calada da noite despertam os sons
Mil olhos são estrelas na terra
O feitiço da Lua envolve os amantes
O amor tem como pano de fundo doce quimera

Voa comigo no feitiço do vento


Mágico beijo

Cris França disse...

Ah Maria, mas com todas essas boas referencias como não se interessar por Plínio Marcos, fabuloso! bjs

António Rosa disse...

Maria das Graças

Vim conhecer o seu blogue e já sou seu seguidor. Gostei muito de a conhecer.

Vim agradecer-lhe o seu lindo comentário à minha fábula que a nossa amiga Cris França publicou nas comemorações do aniversário do seu blogue «Canto de Contar Contos

Muito honrado e agradecido.

Abraço

António

Maria Fe disse...

òtima dica, interessantíssimo!
Quem tem coragem de dar a cara a tapa pelos marginalizados?
Falemos, gritemos a todos os cantos a nossa existência!
Essa sociedade tão desumanizada e depois loucos somos nós....
beijo querida

Regina disse...

Querida Maria,

Mais uma indicação que vai para a minha lista de leitura nas férias!... Muito obrigada!!

Beijos!!

(Qto ao seu comentário lá no "Devaneios"... eu sou uma eterna apaixonada! rsrs...)

G I L B E R T O disse...

Dulce

Boa dica!

Anotei para comprar depois...

ABraços