terça-feira, 24 de maio de 2011

A vida

A vida é dona de nosso destino. Sempre imprevisível, foge a qualquer controle.  E nas perdas irreparáveis  vivenciadas,  constata-se a realidade da fragilidade e impotência . Agora olha aquele quarto vazio, sem a presença querida a rezar para toda a família. Tudo bem arrumado em seus devidos lugares : o terço de contas grandes e negras em um pacote de presente,era para o neto; a linda caixa de guardar orações e novenas,queria um dia dar para sua filha mais velha, há a bíblia, que lia todos os dias; imagens de sua devoção e as fotos de toda a família. Todos os objetos estão como ele deixou em uma manhã de 28 de Abril. Se foi como um pássaro a voar ou um Anjo que adormece de mansinho. Ele até disse que ia embora, mas ninguém acreditou. Afinal orgulhava-se da saúde  de ferro, como dizem na sua região, que também é de ferro. Agora a filha reflete a vida, seus ensinamentos, sua herança de ética e amor . Agora sente saudades, mas também agradece por ter recebido tanto amor e ter repassado aos seus filhos a afetividade e a diguinidade seu querido pai. Ela perdeu uma preciosidade que a ajudou escrever sua história. Só que história de vida não pode ser apagada nem reescrita. Ele estára sempre presente em sua vida e realidade também, pois não se pode tirar os pés do chão.

5 comentários:

Fatima disse...

Momentos tão difíceis estes!
Bjs minha querida e que trenzinho mais lindo "o amor da vovó heim!"
Bjs.

Regina disse...

Querida Maria,

Hoje, especialmente, lendo seu post, sinto-me um pouco triste...

Como é difícil lidar com perdas, doenças, velhice... Posso compreender este sentimento exposto em seu texto...

O que me consola é acreditar que, de fato, somos eternos... e que o amor, o carinho permanecem independente do tempo, da ausência, da distância...

Muito beijos, com saudade...

Graça Pereira disse...

Linda esta homenagem a um pai que voou como um pássaro para a casa do Pai de todos nós! Mas deixou marcas no seu caminho: de amor, honestidade, moral de vida e dedicação. São tesouros valiosos que as filhas passarão aos netos , na verticalidade de um testemunho de vida!
Estas pessoas, não morrem nunca!
Mil beijos
Graça

Maria das Graças disse...

Amigas,
Estou comovida e grata por suas palavras de fé e consolo.

Beijos.

Vera Alvarenga ... disse...

Como é difícil perder uma pessoa querida,um pai que muitas vezes nos embalou assoviando ou cantando para que dormíssemos, ou contou histórias, e nos ensinou o respeito, nos deu amor,carinho...
Sei que é difícil enfrentar as saudades,o que nos sobra tem de ser a certeza de que estamos mais próximos agora quando as limitações do corpo não estão mais a criar distâncias..pelo menos não para ele .
Meu carinho e grande abraço,
Vera Alvarenga